Ebook

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

// // 1 comment

Ações Para Iniciantes: Entenda o que é Subscrição de Ações. Vale a pena participar?


As nomenclaturas e significados dos eventos de ações muitas vezes trazem dúvidas e podem gerar confusões. Ter um entendimento claro do objetivo de cada evento é fundamental para que o investidor possa fazer uma análise limpa e correta.

No caso da Subscrição de Ações, temos um evento que envolve de certa forma mais detalhes para serem analisados.

Diferentemente de outros eventos de ações, a subscrição traz um fluxo financeiro das mãos do investidor para a companhia. É uma forma pela qual as empresas fazem captação de recursos para fazer frente aos seus investimentos ou necessidades de capital de giro.

O fluxo financeiro é gerado a partir da emissão de novas ações. O sócio da companhia irá receber os Direitos de Subscrição com base em sua participação na empresa até a data ex-Direito de Subscrição. Neste caso, o investidor terá duas opções, ou exercer o direito da subscrição ou vender os direitos no mercado.

No primeiro caso, se o investidor exercer aos direitos ele manterá a sua participação na companhia comprando as novas ações. No caso da venda, ele estará passando o direito de comprar as novas ações alvo da subscrição para outro investidor em troca de um valor financeiro.


Os direitos de subscrição são creditados na conta dos acionistas, sendo proporcionais as suas respectivas participações. Fica como ponto de atenção que os direitos de subscrição podem ser vendidos até uma data limite preestabelecida. Caso o investidor opte por exercer os direitos ele deverá entrar em contato com a corretora onde opera, fazer o aviso de que irá exercer e disponibilizar o montante necessário para a compra das ações.

Se o investidor confirmar a sua participação na subscrição de ações haverá a troca entre os direitos de subscrição para os Recibos de Subscrição. Cada direito vale 1 recibo. No vencimento da subscrição os recibos se transformam em ações e seu dinheiro é debitado da conta. Caso o investidor não exerça seu direito e nem venda os direitos eles perderão a validade e o valor, então atenção para as datas limites.

Geralmente, os direitos de subscrição são visualizados com as 4 letras que identificam o ativo acrescidos do final "1" no caso das ações ordinárias e o final "2" no caso das preferenciais.

Exemplos:
  • PETR3 (Ação Ordinária) e PETR1 (Direito de Subscrição)
  • PETR4 (Ação Preferencial) e PETR2 (Direito de Subscrição)
Já os recibos de subscrição normalmente possuem os finais "9" e “10”, para as ações ordinárias e preferenciais respectivamente.

Aumento de Capital, Capitalização, Oferta Pública são outros dois nomes utilizados para se referir a uma subscrição. Na realidade, são nomes até mais comuns de serem ouvidos nos veículos de mídia.

Existem dois tipos de Subscrições, são elas:
  • Subscrições Privadas ou Particulares
  • Subscrições Públicas
As subscrições privadas são aquelas em que apenas os atuais acionistas da empresa têm preferência para adquirir as novas ações. Já as subscrições públicas são oferecidas a qualquer investidor, seja sócio ou não.

Na foto temos um exemplo da Oferta Pública de ações feita pelo Petrobras em 2010.

Nesta, temos a Chamada de Capital recente feita pela holding Itaúsa S.A. (ITSA3). A Companhia pretende, de acordo com a diferença de Capital Social, levantar aproximadamente R$ 740 milhões. Terão direito à subscrição os acionistas titulares de ações na posição acionária final do dia 20/02/2017.


O preço das ações na subscrição está estabelecido no artigo 170 da Lei das S.A. (Lei 6.404/76) e deve contemplar uma dos seguintes diretrizes:
  • O valor econômico por meio do método do fluxo de caixa descontado em que a geração futura de caixa é trazida a valor presente utilizando-se uma determinada taxa de desconto.
  • O valor do patrimônio líquido da ação.
  • A cotação de suas ações em Bolsa de Valores ou no mercado de balcão organizado, admitido ágio ou deságio em função das condições do mercado.

Vale a pena exercer os Direitos de Subscrição?

Em uma primeira análise o investidor iria estudar duas questões:

Qual é o preço estabelecido para as ações alvo do aumento de capital?

Qual é o preço das ações no mercado?

Caso as ações oferecidas estiverem em preços mais atraentes do que no mercado a decisão adequada seria comprá-las afim de não ser diluído.

Mas esta análise é demasiadamente simples não acham? Ainda mais para quem está na Bolsa no papel de investidor.

Uma reflexão interessante seria pensar que a companhia ao fazer um aumento de capital está “levantando dinheiro” com algum objetivo. É nisso que se faz tão importante o acompanhamento das empresas que é sócio, pois desta forma você saberá o que pretendem fazer com o capital.

Outra coisa que devemos levar em consideração é a gestão da companhia, ou seja, se ela historicamente faz bom uso do capital destinado a investimentos. Caso o investidor goste da empresa, acompanhe e seus resultados são excelentes talvez seria uma boa justificativa para exercer os direitos de subscrição, pois caso contrário o sócio é diluído.

Conclusão:

Assim como todos os eventos na Bolsa, a Subscrição de Ações é mais um veículo que leva a um objetivo e que não tem nada de “mágico”. O importante é decifrar o que está por trás desta ação dentro da companhia, ou seja, o que se pretende com o aumento de capital.

Se a empresa alocar mal o capital levantado o acionista vai perder e se o retorno sobre este capital for adequado o sócio sai ganhando.

Vale a pena se a empresa sabe fazer uma boa alocação de capital e além disso é muito clara em seus objetivos do que fazer com o dinheiro. Por questões estratégicas a companhia pode não dar muitos detalhes do que fará com os recursos, pois isso poderia fomentar especulações, o que não é positivo para a companhia.

No final, acreditamos que o mais importante é avaliar o que a companhia já vinha entregando. Ser sócio de empresas por causa de qualquer tipo de evento seja ele a subscrição, a distribuição de proventos, bonificações e outros, é um erro. Você é sócio porque a empresa te entrega valor enquanto o seu capital está locada nela.

Se a empresa já não vem entregando resultados por que ser diluído seria ruim?

Você investidor não é obrigado a participar de nada, acreditar em nada. Mas sim acompanhar e entender se a companhia está indo bem.

Na verdade, se a empresa já não está gerando valor, o que você está necessariamente parado com o seu capital alocado em empresas assim?

Antes de irmos gostaríamos de deixar uma notícia que mostra um pouco do que foi a capitalização da Petrobras em 2011, é interessante para entender mais sobre esse assunto.
Bom,  nós vamos ficando por aqui e este artigo integrará nossa Área do Iniciante onde estudaremos assuntos básicos mas não simples sobre o universo dos investimentos.

O nosso primeiro artigo foi ensinando o investidor novato a montar uma carteira diversificada em Renda Fixa, Ações e Fundos Imobiliários.

Se ainda estiverem com dúvidas acesse o Passo a Passo de como montar uma Carteira Diversificada.

Se vocês gostaram deem um feedback aí para agregar ainda mais informações a nossa análise.

Um grande abraço e até a próxima!

Um comentário:

  1. Boa tarde, conheci hoje o site e gostaria de agradecer pelo excelente conteúdo oferecido!
    Comecei a investir na bolsa faz poucos dias, e o conteúdo que o site disponibiliza é de fácil entendimento.
    Fiquei com uma dúvida, talvez tenha passado despercebido após a leitura, mas, se uma empresa que sou sócio divulga que fará uma subscrição de ações, eu tenho apenas duas escolhas: diluir minha posição ou mantê-la (recomprando o necessário para tal)? Ou, por exemplo, se tenho 1% e após a capitalização esse 1% repreesnte 0,5%, eu poderia comprar apenas uma parte das ações? (ou seja, não comprar o suficiente para representar 1% novamente, mas comprar algumas ações, de forma que minha posição agora seja entre 0,5% e 1%).
    Resumindo, na capitalização posso comprar apenas algumas ações? Ou tenho apenas duas opções, diluir minha posição (não recomprando as ações) ou manter minha posição (recomprando o suficiente pra voltar ao que eu tinha antes da subscrição)?

    ResponderExcluir